Feeds:
Posts
Comentários

Escrito de 2002

Hoje foi o momento de revirar o baú aqui de casa e encontrar um texto que escrevi em 2002. Bom..não sei porque hoje o meu dia foi nostálgico demais. Colocarei o texto neste blog porque muita gente pode considerá-lo inferior. Mesmo assim, gosto muito dele. Aqui vai:

 

Escrita matemática

 

100pre hu1000de 100 10istir 2 ideais por mim projetados! Um pouco 10acreditado, + 100pre com 1a esperança de conseguir pelo – 1 emprego legal. Por isso, fui pedir ajuda a meu primo:

_João, eu 20 visitar!

Conversamos durante horas. 100 conseguir resolver o meu problema, ele começou a me enrolar com 1 papo absurdo:

_Como aqui 90, vo70 ficar calmo. Você 60 e espera 1a brisa chegar…Logo a 100tirá nos de2!

Decidi ir embora. O meu primo é + burro que eu! Enquanto isso, 101 banco e começo a pensar para qual lugar eu irei.

 

Tempo bom esse em que tinha mais liberdade pra escrever. Noite com clima de tensão, tristeza e solidão..pq não sei…hehe

Anúncios

Mudanças internas

Há muito tempo que não escrevia sobre isso. Caio na burrice de acreditar numa versão única de mim. Também andava afastado do modo pessoal de escrita. Nos últimos dias, as “antigas” mudanças internas bateram em minha porta. Sinto o modo de escrever mudar e as vozes da versão 2.8 soarem ao pé do meu ouvido.

Ainda não sei o que essa “nova” personalidade guardou da vida. Os amores, as desilusões, o lado poeta, o pesquisador, o artista ou o ninguém. E, se tentando ser objetivo, acabo escrevendo este texto, já não sei mais o que me reserva. Vivo o momento da dúvida concreta. Nunca pensei que chegaria a esse nível. É só esperar a insônia ir embora para tudo voltar a ser como “não” era antes.

Breve desabafo

Quanto mais eu faço pelas pessoas, mais elas me decepcionam…Queria que isso fosse apenas uma máscara poética de tristeza, mas infelizmente não é.

A morte dos outros

 

Sinto saudade de mim.

De quem eu era

e nunca fui.

 

Sinto saudade das palavras.

Do tempo em que elas

condiziam com o que falavam pra mim.

 

E as horas?

O tempo foi passando.

Tudo mudando

e as pessoas cada vez mais previsíveis.

 

Já não sei se continuo o mesmo,

mas se o mesmo foi o que não continuou.

Faz parte da vida,

viver no meio da morte dos outros.

Momento de morte

Preciso voltar a falar com os espíritos. Acho que eles irão me entender mais do que muita gente, que se diz viva, por aí.

Pequenas aulas de poética

Para quem não sabe…Todo poeta cria uma máscara poética inversamente proporcional à sua personalidade…Pensem nisso.

Esporte–futebol…

E amanhã começa o “tão esperado” campeonato carioca. Só resta saber se a pouca vergonha de um jogador ganhar 1 milhão e oitocentos por mês irá resolver para o povo esquecer de tantos problemas. Eu queria que as pessoas começassem a reinvindicar os seus direitos. Pão e circo em pleno século XXI. E nada mudou…